segunda-feira, 30 de junho de 2014

Doenças endocrinológicas podem ser causa de pressão alta

Você sabia que algumas doenças hormonais podem ser causa de pressão alta?
Excesso de produção de cortisol, aldosterona ou metanefrinas pelas glândulas adrenais pode ser causa de hipertensão secundária.
Além disso, hipotireoidismo, hipertireoidismo e hiperparatireoidismo também podem elevar a pressão arterial.

Tireoide e paratireoides
Glândulas adrenais

Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

domingo, 29 de junho de 2014

Mudanças no estilo de vida para baixar a pressão arterial

Todo o paciente hipertenso, independentemente de estar tomando remédios, deve fazer algumas mudanças nos seus hábitos como parte do tratamento para pressão alta.

Segue uma lista das principais intervenções não farmacológicas com seus respectivos efeitos sobre a pressão arterial sistólica.
1- manter o peso dentro do normal (IMC entre 18,5 e 24,9 kg/m2): redução de 5 a 20 mmHg a cada 10 kg de peso
2- consumir dieta rica em frutas, vegetais, derivados lácteos desnatados e pouca gordura saturada: redução de 8 a 14 mmHg
3- limitar a ingestão de sal a no máximo 6 gramas por dia: redução de 2 a 8 mmHg
4- começar a praticar atividades físicas aeróbicas, como 30 minutos de caminhada, na maioria dos dias da semana: redução de 4 a 9 mmHg
5- se homem, não beber mais do que 2 doses de álcool por dia; se mulher, não mais do que 1 dose: redução de 2 a 4 mmHg



Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

sábado, 28 de junho de 2014

Um em cada quatro brasileiros é hipertenso

Já verificou sua pressão em 2014?
Segundo dados recentes do Ministério da Saúde, 1 em cada 4 brasileiros é hipertenso, sendo os idosos os mais afetados.
Hábitos de vida inadequados, caracterizados por alimentação inapropriada, sedentarismo e, consequentemente, obesidade, são a principal causa do problema.
Meça sua pressão e procure ter uma vida mais saudável. Seu coração agradece!


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Lanchinho com amêndoas e pistaches ajuda a prevenir o diabetes mellitus tipo 2

No final do mês de maio, pesquisadores espanhóis e americanos apresentaram resultados de 2 estudos no Congresso Europeu de Obesidade. Em ambos os estudos, pacientes obesos e com altos níveis de glicose (açúcar) no sangue foram divididos em grupos que consumiam ou grupos que não consumiam amêndoas ou pistaches. Após um período de consumo que variou de 1 mês para as amêndoas e 4 meses para os pistaches, os pacientes que consumiram essas oleaginosas apresentaram queda significativa nos níveis de glicose.
Duas dicas importantes se você pretende começar a consumir pistaches e amêndoas:
1 - ambas são bastante calóricas, logo não abuse na quantidade. Nestes 2 estudos, a porções eram de cerca de 40 gramas por dia.
2- procure consumi-las entre as refeições, na forma de lanche. Por serem oleaginosas, amêndoas e pistaches ajudam na saciedade.



Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576