quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Estudo associa consumo de leite a aumento de mortalidade

No dia 28 de outubro de 2014, foi publicado na revista médica BMJ um estudo sueco com resultado no mínimo muito interessante. Durante um período mediano de 13 anos, foram acompanhados cerca de 45 mil homens, e durante um período mediano de 22 anos, foram acompanhadas cerca de 61 mil mulheres. Através de recordatórios alimentares, os pesquisadores puderam estimar o consumo diário de leite e de outros derivados lácteos. Os dados foram ajustados para diversas variáveis como idade, fumo, composição corporal e atividade física. Os pesquisadores verificaram que beber 3 ou mais copos de leite (desnatado ou integral) por dia quando comparado a beber menos de 1 copo aumenta o risco de morte em 93% em mulheres e 10% em homens! Além disso, as mulheres que mais consumiram leite tiveram aumento no risco de fraturas de quadril e em qualquer osso. Quando iogurte e queijos foram avaliados, o risco aumentado de morte e fraturas não se confirmou. Segundo os pesquisadores, um possível culpado seria a D-galactose, que, em estudos com animais, foi associada a envelhecimento precoce.
Contudo, antes que você queira tirar o leite da alimentação, o desenho do estudo sugere, mas não é capaz de confirmar com certeza absoluta que o leite faz mal. Os próprios pesquisadores sugerem que mais estudos sejam feitos para confirmação dos dados.
No nosso meio, onde são comuns as fraudes no leite, não custa, por via das dúvidas, aumentar o consumo de queijos brancos e iogurtes magros. Garantem-se assim os benefícios do cálcio para a saúde óssea e dos probióticos para a saúde intestinal.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

Nenhum comentário:

Postar um comentário