quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Consumo moderado de vinho faz bem à saúde

Os vinhos tintos, principalmente das variedades tannat e malbec argentinos, quando consumidos com moderação, são ótimos aliados à saúde. O vinho estimula a dilatação das artérias, além de ajudar a elevar o HDL, o colesterol bom. Provavelmente seja por isso que o consumo regular e moderado do vinho (um ou dois cálices por dia) é capaz de reduzir a mortalidade por todas as causas, conforme sugerem alguns estudos.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

sábado, 21 de dezembro de 2013

Óleo de peixe ajuda mesmo?

"Consumo de óleo de peixe não reflete a evidência científica", é o que diz a revista médica JAMA, uma das mais importantes do mundo. Nos Estados Unidos, as vendas de óleo de peixe, rico em ômega 3, dobraram nos últimos 5 anos, alcançando a cifra de 1 bilhão de dólares em 2012. Entretanto, apesar do ômega 3 ser um nutriente importante para a saúde humana, diferentes estudos provam que a suplementação não ajuda a prevenir doenças cardíacas e vasculares, como prega a indústria farmacêutica.
Mais um exemplo de tratamento fútil largamente utilizado e que só traz benefício para quem o comercializa.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia

CREMERS 30.576


domingo, 8 de dezembro de 2013

Qual é a melhor: batata doce ou batata inglesa?

Não se engane pelo nome! Quando comparamos a batata doce e a batata inglesa, a primeira tem algumas vantagens sobre a segunda principalmente em pacientes diabéticos. A batata doce possui duas vezes mais fibras que a batata inglesa, o que faz seu "açúcar" ser absorvido mais lentamente pelo intestino, ou seja, tem índice glicêmico menor. Alimentos com menor índice glicêmico fazem a glicose subir menos no sangue. Outra vantagem das fibras da batata doce são que ajudam a aumentar a sensação de saciedade, fazendo com que se coma menos. Mas cuidado! Por serem fontes ricas de carboidratos e calorias, qualquer tubérculo não deve ser consumido de forma exagerada.



Vídeo com informações sobre o consumo de batata doce e outros tubérculos por pacientes com diabetes.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Doutor e Mestre em Endocrinologia - UFRGS
CREMERS 30.576 - RQE 22.991

Texto revisado em 15 de outubro de 2018.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Reposição de testosterona pode trazer riscos quando mal indicada

Ainda existe muito debate sobre o custo benefício da reposição de testosterona em homens na "andropausa". Estudo recentemente publicado no JAMA, uma das revistas médicas mais importantes do mundo, acompanhou quase 9000 homens, dos quais 1200 receberam tratamento de reposição com testosterona para corrigir baixos níveis deste hormônio. O que aconteceu? A testosterona foi responsável por aumento de 29% no risco de mortes, infartos ou isquemias. Apesar do estudo ter algumas limitações, serve para acender uma luz amarela para a prescrição desenfreada de testosterona que vem acontecendo ultimamente.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30.576

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Quando suspeitar de câncer em um nódulo de tireoide?

Apesar da grande maioria dos nódulos de tireoide felizmente ser benigna, existem casos de câncer. Alguns achados aumentam a probabilidade de um nódulo ser maligno. São eles:
1- sexo masculino
2- idade menor que 20 anos ou maior que 60 anos
3- história de câncer de tireoide na família
4- história de neoplasia familiar (NEM)
5- mudança na voz
6- dor ou dificuldade para engolir
7- crescimento rápido do nódulo
8- nódulo duro como pedra
9- nódulo com a superfície irregular
10- nódulo fixo aos tecidos adjacentes
11- ínguas no mesmo lado do nódulo


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia
CREMERS 30576

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Avaliação hormonal é complexa e precisa ser feita por especialista

A dosagem dos hormônios no sangue tem uma série de peculiaridades. Dependendo da hora do dia e da idade do paciente, por exemplo, valores considerados normais para algumas pessoas podem estar alterados para outras. No caso da testosterona, que é o principal hormônio masculino, os valores são mais altos nas primeiras horas do dia, em homens mais jovens e magros.
Estes detalhes tornam a interpretação das dosagens hormonais muitas vezes difícil para o médico não endocrinologista, o que pode levar a erros diagnósticos e tratamentos inapropriados.
A figura mostra a molécula da testosterona.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576

Alimentos light, diet e zero podem conter sódio em excesso

Muitos alimentos light, diet ou zero escondem um perigo oculto: o excesso de sódio que acompanha adoçantes como o ciclamato e a sacarina, comumente usando pela indústria alimentícia. O sódio em excesso pode aumentar os níveis de pressão arterial, aumentando o risco de doenças cardíacas e vasculares. Para quem compra um produto light pensando em se cuidar, isso é uma verdadeira armadilha.
Segue uma lista tirada da revista Saúde com os alimentos light campeões em sódio.

1- Caldos e sopas em pó
434,4% mais sódio

2- Refrescos em pó
272,5% mais sódio

3- Pós para vitaminas e shakes
201,6% mais sódio

4- Gelatinas
106,8% mais sódio

5- Bebidas de soja, energéticos, refrigerantes e chás
135,3% mais sódio

6- Sobremesas lácteas
131,3% mais sódio


7- Doces de corte ou pasta

100% mais sódio


8- Achocolatados e afins
62% mais sódio


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576

domingo, 17 de novembro de 2013

Tratamento precoce e prolongado do diabetes mellitus ajuda a evitar complicações

Você sabia que segundo dados do maior estudo já realizado com pacientes diabéticos do tipo 2, o UKPDS, o tratamento intensivo da glicemia (açúcar no sangue) é capaz de reduzir o risco de complicações, como danos nos rins, amputações e problemas visuais, em 12%?
Em outras palavras, estima-se que precisamos tratar 19 pacientes diabéticos para prevenir um evento grave em 10 anos.
Só a título de comparação: no caso do colesterol alto, precisamos tratar cerca de 50 pacientes por 5 anos para prevenir um ataque cardíaco.
Doenças crônicas, como é o caso do diabetes e do colesterol alto, têm disso: o tratamento adequado e por tempo prolongado é que traz benefício.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Feijão é boa opção para pacientes diabéticos

Dica para quem é diabético ou tem a glicose elevada e quer prevenir a doença: coma feijão.
O feijão é um ótimo alimento, pois possui quantidade elevada de fibras e carboidratos complexos, ou seja, baixo índice glicêmico. Isto quer dizer que o "açúcar" do feijão é absorvido mais lentamente que o do arroz branco e até que o do arroz integral.
Mas atenção: no preparo, evite banha, embutidos (bacon e linguiça) e outras carnes processados. Prefira temperar o feijão com alho e folhas de louro.
Pena que os brasileiros estejam comendo menos feijão hoje em dia.






Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576 - RQE 22.991

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Complicações do diabetes no paciente idoso

Pacientes idosos com diabetes mellitus apresentam risco maior de:
1 - uso excessivo de medicamentos
2 - incapacidade funcional
3 - perda da memória e demência
4 - depressão
5 - incontinência urinária
6 - quedas e fraturas
7 - dores persistentes
Com as pessoas vivendo cada vez mais é natural que também tenhamos cada vez mais idosos diabéticos. Contudo, o tratamento da pessoa com mais de 65 anos tem certas peculiaridades, o que torna essencial o acompanhamento do endocrinologista para se prevenir as complicações listadas acima.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576 - RQE 22.991 

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Obesidade infantil pode estar associada com alterações hormonais da tireoide

Um dos equívocos mais frequentes em endocrinologia é colocar a culpa da obesidade na tireoide. Cerca de 20% das crianças obesas apresentam elevação do TSH, hormônio produzido na hipófise que serve para controlar a funcionamento da tireoide. Quando os níveis de TSH estão elevados no sangue, surge a suspeita de que a tireoide possa não estar funcionando direito. Contudo, nas crianças obesas, o que acontece é o seguinte:
1- o tecido gorduroso produz um hormônio chamado leptina, que controla a saciedade.
2- na criança obesa essa produção é excessiva e acaba estimulando o hipotálamo a produzir TRH.
3- o TRH acaba por estimular a hipófise a produzir TSH em excesso.

Conclusão: na maioria da vezes, a tireoide não é culpada, mas sim a vítima da obesidade, já que as alterações hormonais melhoram com o emagrecimento.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576

domingo, 27 de outubro de 2013

Síndrome de Down está associada a problemas na tireoide

Você sabia que 1 em cada 4 crianças com síndrome de Down tem disfunção da tireoide? O hipotireoidismo é a mais frequente.
Toda criança com síndrome de Down deve ter acompanhamento regular do endocrinologista, pois as alterações hormonais da tireoide podem piorar o crescimento, desenvolvimento motor e intelectual se não tratadas apropriadamente.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Verdades e mentiras sobre refrigerantes

MENTIRA:
"Não existe evidencia científica que ligue os refrigerantes a obesidade."
- Katie Bayne, Presidente da Coca-Cola na América do Norte

VERDADE 1:
Cada lata de refrigerante tomado por dia, aumenta o risco de uma criança ficar obesa em 60%.
VERDADE 2:
Cada lata de refrigerante tomado por dia, aumenta o risco de doenças no coração em 19%.
VERDADE 3:
Beber um ou duas latas de refrigerante por dia, aumenta o risco de diabetes mellitus tipo 2 em 25%.

Fonte: therealbears.org



Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30.576


domingo, 20 de outubro de 2013

Osteoporose: dicas para evitar quedas e fraturas

A osteoporose é uma doença silenciosa. A fratura, sua principal consequência, muitas vezes resulta de uma queda.
Trinta por cento das pessoas com mais de 65 anos, cai pelo menos uma vez dentro do período de um ano.
ALGUMAS DICAS SIMPLES PARA EVITAR QUEDAS:
1- mantenha os ambientes com pinturas claras e boa iluminação.
2- tenha um abajur no lado da cama. NUNCA levante no escuro durante a noite.
3- evite tapetes e mesas de centro.
4- cuide bem dos seus pés. Eles são seu apoio.
5- pratique atividades físicas como caminhadas, alongamento e dança, que ajudam a melhorar o equilíbrio.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
CREMERS 30576

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Como as mudanças do estilo de vida influem na vida do paciente diabético

O estudo Look Ahead, que acompanhou mais de 5 mil pacientes diabéticos por cerca de 10 anos em 16 centros médicos dos Estados Unidos, trouxe alguns resultados interessantes...
Diferente do imaginado, diminuir o peso de pacientes diabéticos com dieta e atividades físicas, não diminuiu o número de eventos cardiovasculares (infartos e isquemias, por exemplo).
Isso quer dizer que não adianta cuidar da alimentação e fazer exercícios quando se é diabético? Não é bem assim! Os participantes que perderam peso precisaram tomar menos remédios, tiveram menos apneia do sono e, os homens, tiveram menos problemas de ereção.
Resumindo, se você é diabético, vale sim a pena cuidar da alimentação e se manter ativo.
A figura a seguir mostra a máscara do CPAP, aparelho usado para tratar a apneia do sono.


Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Doutor e Mestre em Endocrinologia - UFRGS
CREMERS 30.576 - RQE 22.991.

Texto revisado em 7 de outubro de 2018.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Hiperparatireoidismo: sempre lembrar após a menopausa

Apesar de pouco frequente, o hiperparatireoidismo é uma doença que precisa ser sempre lembrada em mulheres após a menopausa. O funcionamento excessivo das glândulas paratireoides é mais comum em mulheres após os 50 anos de idade e pode estar associado à osteoporose e a sintomas parecidos com depressão.
Mulher com osteoporose ou sintomas depressivos após a menopausa deve ser avaliada para hiperfuncionamento das paratireoides.
Fica a dica!

Temos quatro paratireoides e elas se localizam atrás da tireoide (veja a figura).



O vídeo a seguir traz mais detalhes sobre o hiperparatireoidismo.



Dr. Mateus Dornelles Severo
Médico Endocrinologista
Doutor e Mestre em Endocrinologia - UFRGS
CREMERS 30.576 - RQE 22.991
www.facebook.com/drmateusendocrino


Texto revisado em 8 de outubro de 2018.